Como aliviar dor de barriga e diarreia

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 3 meses

No consultório é muito comum as pessoas chegarem com a queixa de dor de barriga. Na maioria das vezes querem apenas se referir a diarreia ou ao aumento das evacuações após uma alimentação indigesta. Mas você sabe o que além da diarreia pode causar dor de barriga? Como aliviar a dor de barriga e a diarreia? Quando procurar um médico? Dor de barriga pode ser grave? É o que discuto nesse artigo.

Boa leitura. 

O que é a dor de barriga e diarreia?

Muitas pessoas usam o termo dor de barriga e diarreia como sinônimos. Se for levar ao pé da letra, a dor de barriga seria o termo popular para qualquer desconforto abdominal, seja dor, cólica, queimação, excesso de gases ou má digestão. Porém, uma dor de barriga (ou na barriga) pode ser sinal não apenas de problemas intestinais ou cólicas menstruais, mas também de algum problema em outro órgão como o estômago ou algo mais grave como apendicite.

Já a diarreia é o aumento do número de evacuações ou ainda da diminuição da consistência das fezes. Por definição a diarreia é considerada doença quando ocorrem 3 ou mais evacuações pastosas ou líquidas num período de 24 horas. 

Quando a diarreia persiste por mais do que 1 mês ela é considerada crônica.

O que causa dor de barriga e diarreia?

As principais causas de diarreia estão relacionadas a falta de higiene. Consumir alimentos crus e mal lavados ou ingerir água contaminada é o principal causador. A presença de bactérias nos alimentos ou de toxinas produzidas por vírus ou bactérias pode causar a diarreia. Um parasita intestinal chamado de giardia também pode ser o vilão.

Crianças são mais susceptíveis pois colocam a mão na boca constantemente. Quando estão em idade escolar é mais fácil ainda de se contaminarem com vírus, bactérias e parasitas que estão causando diarreias em outras crianças. 

Viajar e mudar seus hábitos alimentares e de higiene também costumam contribuir para estas diarreias. Ela até recebe um nome específico que não é nada criativo: diarreia do viajante.

Além da infecção causada por micro-organismos, problemas como a falta de absorção de nutrientes também podem causar diarreia. É o caso da doença celíaca, em que o organismo gera uma resposta imunológica contra o gluten encontrado no trigo e em outros grãos. Com o passar do tempo a inflamação danifica o intestino, que não consegue mais absorver alguns nutrientes, causando a diarreia. Neste caso a diarreia é crônica, podendo durar meses ou anos e reaparecendo sempre que alimentos a base de gluten sejam consumidos.

Outras causas incluem: alergia a alimentos, alguns medicamentos (antibióticos e metformina são os mais comuns, mas outros podem causar), hepatite viral (A e E mais comuns especialmente em crianças) e na presença de outras doenças como gripe (influenza), dengue, malária ou HIV.

Quais as complicações e os riscos da diarreia?

A maioria das diarreias agudas, causadas por contaminação alimentar ou doenças infecciosas, costuma se resolver em poucos dias sem maiores complicações.

Em alguns casos a inflamação causada pela diarreia pode complicar e causar diarreia com presença de sangue. 

Se a diarreia se prolongar por muitos dias ou semanas, pode ocorrer desidratação, que se não tratada pode ser grave. A pessoa fica fraca, não tem forças para se alimentar, a pressão arterial baixa, a boca e a pele ficam secas. Apesar de menos comum hoje em dia, especialmente no Brasil, essa desidratação causada por diarreia já foi causa de morte de muitas crianças em nosso país.

Como tratar?

O principal tratamento para diarreia é se manter hidratado e repor o líquido perdido.

Sais de reidratação oral

A reidratação deve ser feita de preferência com sais de reidratação oral próprias para isso, que contém todos os eletrólitos e componentes que são perdidos nas fezes ou ainda em eventuais vômitos.

O soro caseiro – feito com 1 colher de sopa de açúcar e 1 colher de café de sal em 1 litro de água limpa – ajuda, assim como água de coco e bebidas energéticas. Porém estes compostos não têm a mesma composição do que é perdido e podem não repor todos os sais minerais perdidos. Se você vive numa cidade que tem acesso fácil a um posto de saúde ou à uma farmácia, prefira os sais de reidratação oral.

Eles precisam ser diluídos de acordo com as instruções da embalagem. Cada fabricante tem suas variações. Alguns já vem até diluídos em água, prontos para o consumo. Outros têm sabores artificiais junto para tentar disfarçar o gosto nada agradável do produto. O importante é diluir em água limpa: mineral, filtrada ou fervida. E fervida, mas não fervendo. Uma vez preparado não é necessário colocar na geladeira, a menos que você more em uma região muito quente, em que tomar a bebida gelada seja mais agradável.

A regra geral para adultos é a de tomar um copo da solução para cada episódio novo de diarreia. Para crianças vai variar conforme o peso. Crianças maiores até podem tomar parte de um copo de água em cada episódio de diarreia.

Outros líquidos

Além dos sais de reidratação oral, tome bastante líquido: água, suco natural de frutas, sopas ou caldos. Bebês que mamam no peito podem se beneficiar de mamadas extras.

Medicações

Normalmente não é necessária nenhuma medicação para tratar diarreia. Em alguns casos, especialmente em casos de diarreia com sangue, suspeita de infecções por bactérias em geral ou outros sinais de maior gravidade, o médico pode acabar prescrevendo antibióticos.

Medicamentos antidiarreicos não costumam ser indicados. Eles podem atrasar ou dificultar a melhora espontânea da diarreia.

Em alguns casos, quando o médico suspeita de que a diarreia foi causada por algum parasita, os antiparasitários podem ser indicados. Algumas pessoas chamam estes de “remédios para vermes” ou ainda vermífugos.

Crianças menores de 5 anos (incluindo bebês) têm indicação de reposição com zinco, o que pode encurtar o tempo de cura da diarreia.

Alguns médicos prescrevem probióticos, numa tentativa de supostamente repor a flora bacteriana perdida. Os estudos têm mostrado que estes probióticos têm pouca evidência de repor a flora mais rápido do que a reposição natural realizada pelo organismo saudável.

Que alimentos posso comer?

A princípio não existe nenhuma dieta específica para tratar a diarreia. O ideal é evitar alimentos ricos em gordura e derivados do leite até que a função intestinal volte ao normal.

Prefira alimentos à base de amidos e cereais cozidos com sal (batata, macarrão, arroz, trigo e aveia). Bolacha salgada, banana, sopas e legumes cozidos também são boas opções.

Aos poucos volte a se alimentar com a sua dieta normal, testando os alimentos devagar. E não exagere na quantidade. Ir na churrascaria ou num rodízio de pizza depois de um episódio de diarreia, não parece ser muito adequado. 

Como prevenir?

Hábitos de higiene são a melhor forma de evitar as diarreias causadas por microorganismos infecciosos.

Algumas dicas práticas:

  • Lavar a mão com água e sabão sempre antes de todas as refeições.
  • Tomar somente água limpa, de preferência mineral, filtrada ou fervida. 
  • Alimentos crus como frutas, verduras e vegetais devem ser muito bem lavados antes de serem consumidos.
  • Temperos que ficam nas mesas podem se tornar contaminados muito facilmente. Evite-os.
  • Observe a validade dos alimentos que consome. Muitos alimentos têm prazo de validade de poucos dias uma vez abertos, mesmo se mantidos na geladeira.
  • Congelar alimentos ou bebidas não elimina os germes que causam diarreia. Bebidas alcoólicas também não.
  • Tomar anualmente medicações antiparasitárias (remédios para vermes) não costuma ser indicado, a menos que você more em áreas endêmicas para alguns vermes e mesmo assim somente com indicação médica.

Quando procurar ajuda?

A maioria das diarreias simples não precisam de grandes cuidados. Porém, procure um médico nas seguintes situações:

  • Diarreia com sangue;
  • Presença de febre;
  • Diarreia que não melhora depois de 2 ou 3 dias;
  • Vômitos associados;
  • Aumento da intensidade das dores na barriga;
  • Mudança do padrão da dor – inicialmente com dor na barriga sem saber o local e com o passar das horas a dor ficou localizada em um ponto da barriga;
  • Fraqueza, tontura ou qualquer outro sintoma associado;
  • Não conseguir comer nem tomar nenhum líquido.

Conclusão

A diarreia, popularmente conhecida como dor de barriga, pode acometer qualquer pessoa. A principal causa é o consumo de alimentos e bebidas contaminados com vírus, bactérias ou ainda parasitas. A hidratação com sais de reidratação oral é o melhor tratamento. Se tiver qualquer sintoma associado ou não estiver melhorando depois de alguns dias, procure ajuda de um médico.

Espero que tenha gostado do artigo. 

Em caso de dúvidas deixe seu comentário. Siga meus canais nas redes sociais.

Um forte abraço.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como Médico de Família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário