Queda de cabelo: o que você precisa saber

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 8 meses

Queda de cabelo ou alopecia é um problema que muitas vezes está além da mera questão estética. Apesar da causa mais comum ser a genética, a queda pode ser decorrente de alguma doença autoimune ou inflamatória e que pode ter algumas consequências mais graves se não tratada. 

Neste artigo explico quais são as principais causas de queda de cabelo, além de como é feito o diagnóstico e o tratamento. Ainda comento sobre alguns mitos relacionados à queda de cabelo.

Boa leitura. 

O que é o cabelo?

A cabeça humana possui aproximadamente 100 a 150 mil folículos de cabelo. O folículo é formado por várias partes. É como se fosse a semente e a raiz do cabelo. Cada folículo produz um fio de cabelo. Os fios de cabelo são basicamente compostos por proteínas, especialmente as do tipo queratina.

Os folículos têm um ciclo de vida de aproximadamente 2 a 8 anos e passado essa etapa eles dão lugar a um novo folículo. O folículo produz cabelo a um ritmo de aproximadamente 0,3 mm por dia, cerca de 1 cm por mês. Para efeito de comparação, a sobrancelha cresce em torno de 0,1 mm por dia.

Causas de queda de cabelo

Vários fatores influenciam na queda do cabelo, sendo o mais comum deles a genética, que afeta tanto homens quanto mulheres. Mas fatores como estresse, variações hormonais, gestação, doenças autoimunes e várias outras doenças que causam inflamação no corpo interferem no crescimento e queda dos cabelos. 

As principais causas de queda de cabelo são:

  • Alopecia androgenética do homem: São as famosas “entradas” que chegam a afetar metade dos homens com mais de 50 anos de idade. Como o nome sugere a origem dessa alopecia é genética.
  • Alopecia androgenética da mulher (queda de cabelo de padrão feminino): Afeta mulheres depois da menopausa, principalmente após os 70 anos. É uma queda mais da região do topo da cabeça (a coroa), polpando a região da frente. Porém, também pode se manifestar como um afinamento da região lateral, fazendo as “entradas” parecidas com o padrão masculino.  
  • Efluvio telógeno: É uma queda de cabelo temporária normalmente desencadeada por algum gatilho como o uso de alguma medicação, gestação, cirurgia, dieta, estresse ou outra doença como a covid-19, por exemplo.
  • Alopecia areata: é uma doença autoimune que afeta o folículo do cabelo, podendo apresentar perda de fios em grande quantidade e em qualquer região da cabeça.
  • Tricotilomania: É um distúrbio psiquiátrico caracterizado pelo fato de a própria pessoa arrancar os fios de cabelo com a ajuda dos dedos. 

Uma doença que também tem associação com a queda de cabelo é o hipotireoidismo, que é uma doença de fácil tratamento e diagnóstico. E uma vez tratada a doença, o cabelo volta a crescer. A queda de cabelo causada pelo hipotireoidismo é uma queda regular de todo o cabelo, com a redução drástica do volume. Cansaço, unhas quebradiças, pele seca e intolerância ao frio também costumam estar associados. Para saber mais, leia meu artigo sobre o hipotireoidismo.

Outras causas

Outras causas menos comuns incluem:

  • Alopecia de tração: mais comum em algumas pessoas ou etnias que costumam fazer tranças ou penteados em que os fios ficam tracionados. A queda é pela manipulação do cabelo que fica esticado e cai pela força mecânica.
  • Alopecia cicatricial central centrífuga: Causada por uma doença inflamatória pouco compreendida e que afeta principalmente mulheres negras de meia idade. Como o nome sugere, faz uma queda de cabelo mais na região central da cabeça.
  • Lupus eritematoso discoide: É uma doença muitas vezes associada ao Lúpus, que por sua vez é uma doença autoimune e que pode afetar vários órgãos do corpo, sendo a pele uma delas.
  • Dermatite seborreica ou atópica: Um tipo de alergia que pode levar à queda do cabelo. A seborreica é pela produção excessiva de gordura das glândulas sebáceas dos folículos capilares. Já a atópica é devido a qualquer agente que irrite e causa alergia no couro cabeludo. 
  • Sífilis secundária: A sífilis é uma doença sexualmente transmissível e que, se não tratada, pode evoluir para a forma secundária. A queda de cabelo pode ser um de seus sinais.
  • Alopecia psoriatica: Pode acontecer em pessoas que tenham psoríase, uma doença inflamatória que provoca o aparecimento de placas descamativas na pele.  

Uma outra causa de cabelo pouco comum está relacionada a manipulação excessiva do cabelo, fazendo danos aos fios, deixando-os sem brilho, quebradiços, e favorecendo a queda. Ela pode ser provocada por escovação excessiva, aplicação de tinturas nos cabelos e calor em excesso.

Essa manipulação excessiva do cabelo pode levar ainda ao aparecimento das “pontas duplas” que recebem o nome de tricoptilose.

Quando procurar o médico?

A queda de padrão masculino ou feminino ocasionado pela idade, normalmente não requer tratamento médico, a menos que a questão estética seja um problema.

Para todas as demais formas, uma avaliação médica é importante para fazer o diagnóstico correto, avaliar eventuais outras doenças associadas, bem como propor o tratamento adequado.

Procure um dermatologista, médico de família ou clínico geral se perceber:

  • Queda de cabelo abrupta. Mechas de cabelo que caem da noite para o dia.
  • Perda de cabelo apenas em áreas específicas da cabeça, fazendo “buracos” em algumas regiões do couro cabeludo.
  • Coceira em excesso no couro cabeludo.
  • Descamação excessiva do couro cabeludo.

Se estiver arrancando os cabelos, ou se seu filho ou algum familiar o esteja fazendo, a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra pode ajudar.

Como é feito o diagnóstico do tipo de doença do cabelo?

O diagnóstico na grande maioria das vezes é feito apenas durante a consulta e a observação do cabelo pelo médico. O médico irá avaliar o padrão da queda de cabelo, observar o couro cabeludo e pode ainda puxar alguns fios para avaliar se eles se soltam facilmente (teste de tração). 

Em alguns casos, se houver suspeita de alguma outra doença associada, exames de sangue podem ser pedidos. Além disso, pode ser necessário olhar os cabelos com uma lente de aumento ou ainda realizar uma biópsia.

A biópsia consiste em obter uma pequena amostra dos fios ou da pele da cabeça para ser avaliada num microscópio. Ela é normalmente realizada com uma técnica chamada de “punch”, que coleta uma pequena parte arredondada da pele.  

Tratamentos

O tratamento vai depender principalmente da causa. Tratar e controlar a doença que a está causando a queda de cabelo pode resolver o problema. Além disso alguns cuidados com os cabelos podem ajudar (veja abaixo)

Para a queda de cabelo de padrão androgenético (que é a mais comum), tanto o masculino quanto o feminino, o tratamento é feito principalmente com medicamentos. Os mais conhecidos e utilizados são:

  • Finasterida: É um comprimido que deve ser tomado uma vez por dia e que foi desenvolvido inicialmente para tratar problemas com a próstata, mas que se mostrou promissor para prevenir a queda de cabelos. Não pode sequer ser tocado por mulheres grávidas ou tentando engravidar, pelo risco de má formação fetal.
  • Minoxidil: É uma solução que deve ser aplicada diretamente no couro cabeludo. A indicação é a de aplicar 2 vezes ao dia. Deve-se deixar agir por 4 a 6 horas antes de lavar os cabelos. Pode-se aplicar antes de dormir. É a principal escolha para as mulheres.

Outras opções incluem o uso de corticoides, espironolactona (indicado para algumas mulheres), e mais recentemente o minoxidil na forma de comprimidos. Além dessas, a terapia com laser pode ser tentada nos casos em que a medicação é contraindicada ou não surtiram efeito.

Se os medicamentos não resolverem, o transplante capilar pode ser a solução. Nesse caso são retirados bulbos capilares da região da nuca e transplantados na região frontal onde está faltando cabelo.

O uso de toucas, perucas e outros acessórios também ajudam a disfarçar a calvície.

*Não use qualquer medicamento sem o conhecimento de seu médico. Eles podem não ser indicados para o seu caso.

Dicas para manter um cabelo saudável

Algumas dicas para manter os cabelos saudáveis:

  • Evite usar tinturas ou outros produtos químicos no cabelo.
  • Evite manipular o cabelo, passar a mão, escovar ou pentear em excesso.
  • Use condicionador regularmente. O uso do condicionador não vai fazer crescer cabelo, mas ajuda a manter os fios desembaraçados e com menos tração entre eles. Só evite puxar ou manipular demais os cabelos enquanto faz a aplicação. E não é fácil encontrar informações de confiança com relação à regularidade, uma vez ao dia ou uma vez por semana não parecem ter grandes diferenças.
  • Corte regularmente os fios danificados, quebrados ou com pontas duplas.

Usar boné, chapéu ou capacete ajuda a ficar careca?

O uso de bonés, chapéus ou ainda capacete não interfere no fato de você ser calvo. Pode até fazer cair um ou outro fio pela tração exercida pelo acessório na hora de tirar ou colocar, mas não para deixá-lo careca. 

A queda de cabelo de padrão androgenético é hormonal e não devido a manipulação dos fios.

Mitos sobre a queda de cabelo

Outras informações sobre os cabelos e a queda dos fios:

  • Você pode lavar os cabelos uma vez ao dia ou uma vez na semana. O importante é lavar quando perceber que eles estão sujos ou engordurados.
  • Lavar os cabelos todos os dias não apodrece os fios.
  • Lavar os cabelos antes de dormir não faz com que o cabelo caia.
  • Lavar os cabelos durante o período menstrual não faz mal algum. 
  • Alimentação saudável faz bem para o cabelo e também para todo o corpo.
  • Massagem do couro cabeludo, técnicas de relaxamento, hidratantes, xampus antiqueda, vitaminas, entre outros talvez ajudem, mas as evidências científicas não são boas para nenhum desses.

O blog O Tricologista tem bons artigos sobre queda capilar e cuidados com os cabelos.

Conclusão

O cabelo é composto por milhares de fios que nascem dos folículos. A principal causa da queda dos cabelos é genética, atingindo metade dos homens após os 50 anos e muitas mulheres depois da menopausa, especialmente após os 70 anos. Mas outras doenças podem estar associadas. É importante procurar um médico em caso de queda abrupta dos cabelos ou ainda coceira ou descamação do couro cabeludo. Lavar os cabelos diariamente não faz cair cabelo. O uso do condicionador pode até ajudar a evitar a queda. Existem alguns medicamentos que podem ajudar na queda de padrão androgenético. Mas em casos mais drásticos somente o transplante capilar pode ser o tratamento definitivo. 

Espero que tenha gostado do artigo.

Se ainda ficou com dúvidas comente aqui ou nas redes sociais.

Um forte abraço.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como médico de família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário