Quero parar de fumar! Tem como?

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 8 meses

Se você chegou até aqui é muito provável que seja fumante ou conheça alguém que deseje parar de fumar. O tabagismo é a principal forma evitável de morte no mundo e isso por si só já é motivo mais do que suficiente para abandonar o hábito. Mas é claro que se fosse fácil não precisariam ser escritos inúmeros textos a respeito.

Neste artigo trato das melhores práticas estudadas e validadas até o momento para te ajudar a abandonar o cigarro. Abordo também os benefícios de largar o cigarro, bem como os desafios e eventuais medicamentos utilizados para isso.

Se você ainda precisa de motivos para largar o cigarro, leia meu artigo sobre uma das consequências do fumo constante: a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e também sobre o uso da oxigenoterapia domiciliar prolongada para amenizar os sintomas dessa doença.

Boa leitura.


*Prefere assistir? O conteúdo deste artigo também está disponível no vídeo abaixo. 

Vídeo: Quero parar de FUMAR! Tem como?

Quero parar de FUMAR! Tem como?

Por que o cigarro vicia?

No sul do país existem inúmeros pequenos agricultores que sobrevivem do cultivo e da venda das folhas de tabaco, o principal ingrediente utilizado para a fabricação do cigarro. Apesar de existirem inúmeras leis para tentar reduzir seu consumo, ele ainda é usado quase que livremente. Um dos principais problemas é a nicotina presente no fumo, que vicia atuando diretamente no cérebro causando dependência em seus usuários. Além da nicotina o cigarro libera inúmeras outras substâncias que podem ser nocivas à saúde. Alguns estudos citam mais de 4 mil substâncias nocivas presentes no cigarro.

Benefícios de parar de fumar

Parar de fumar traz benefícios imediatos para sua saúde, além de poder aumentar seu tempo de vida. E os benefícios são sentidos mesmo por aqueles que se julgam muito velhos para parar.

Alguns problemas conhecidos em quem fuma e que podem melhorar se você parar:

  • O cigarro favorece o entupimento dos vasos sanguíneos, que é a causa do infarto e do AVC (ou derrame), doenças que podem ter consequências graves.
  • A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) também pode ser influenciada pelo tabaco. É uma doença que pode causar dor e inchaço nas pernas principalmente ao caminhar ou fazer outras atividades físicas.
  • A pressão arterial aumenta em quem fuma. Parar pode ajudar a controlar sua pressão.
  • A fumaça do cigarro pode prejudicar a camada de proteção do estômago. Quem fuma tem mais chances de ter dor no estômago, ou ainda ter úlceras ou feridas no estômago. Parar pode ajudar a curar ou prevenir a doença.
  • Nem precisaria citar, mas o pulmão é um dos órgãos que mais sofre com o cigarro. Além do câncer, a falta de ar devido a doença pulmonar obstrutiva crônica é uma das consequências do hábito de fumar que afetam os pulmões. Parar de fumar pode evitar ou no mínimo melhorar seus sintomas.
  • As chances de ter câncer em qualquer órgão do corpo é muito maior em quem fuma do que em quem não fuma. Parar de fumar pode reduzir as chances de ter mutações nas células do corpo.
  • Diabetes, problemas de ereção, dificuldade de engravidar, aborto, menopausa precoce, problemas ósseos como osteoporose ou outras doenças dentárias, catarata, dificuldades de cicatrização de feridas ou cirurgias, entre inúmeras outras doenças estão associadas ao tabagismo. Cessar o tabagismo pode ajudar a evitar inúmeras doenças.
  • Reduzir a chance de doenças relacionadas ao fumo passivo em familiares ou amigos. Asma, bronquite, DPOC e outros problemas no coração são mais comuns em pessoas que convivem no mesmo ambiente que pessoas que fumam.
  • O sabor e o cheiro dos alimentos melhoram após algum tempo sem o cigarro. A tosse, o pigarro e a falta de ar tendem a melhorar também.

Como fazer para parar?

O primeiro passo é querer parar. A busca por informações, conversas com amigos, familiares e com seu médico podem ajudá-lo a dar esse primeiro passo. Acompanhamento com um psicólogo também pode ajudar.

Uma vez tomada a decisão de parar é hora de escolher uma data para tal. Os estudos mostram que parar de uma vez tende a ter melhor taxa de sucesso do que reduzir o consumo aos poucos. Você pode escolher uma data que tenha algum significado para você, como a data de seu aniversário ou qualquer outra data que possa te ajudar a celebrar o tempo sem o cigarro.

Converse com seus familiares e amigos a respeito. Ter apoio nessa decisão pode ajudar as chances de sucesso.

Antes de parar você deve se preparar para eventuais consequências de ficar sem os efeitos da nicotina, sendo o principal deles o desejo de voltar a fumar. Converse com seu médico, seu terapeuta. Evitar os gatilhos que o levam a acender um cigarro são fundamentais. Esses gatilhos são os hábitos que você deve tentar evitar. Exemplos incluem:

  • Uma cadeira ou poltrona que é seu principal lugar para iniciar um cigarro.
  • Um caminho até o trabalho.
  • Uma ida até a padaria.
  • Tomar café, bebidas alcoólicas.

Você não vai ter que abandonar o café ou nunca mais se sentar na sua poltrona preferida, mas talvez tenha que evitar esses gatilhos nas primeiras semanas em que estiver no processo de parar de fumar.

Alguns medicamentos, prescritos por seu médico podem te ajudar a amenizar a ansiedade e o desejo de fumar. Nunca use medicamentos sem um acompanhamento médico, mesmo que seja as gomas de nicotina que podem ser compradas sem receita. O apoio médico pode aumentar suas chances de parar de fumar.

Na véspera da data definida, fume seu último cigarro e se desfaça de todos os cigarros, isqueiros e fósforos que tiver. A dificuldade em ter acesso ao fumo pode te ajudar a melhorar suas chances de sucesso.

Mude um hábito por outros. Para amenizar e superar o desejo de fumar, muitas pessoas precisam trocar o hábito de fumar por outra atividade. O ideal são atividades saudáveis como caminhadas, natação, musculação, mas mascar chicletes ou simplesmente beber água podem ajudar. Jogar jogos de celular, ler, assistir filmes, conversar com amigos, enfim, qualquer atividade que te ajude a ficar longe do cigarro. Evitar ficar em ambientes com pessoas fumando também é fundamental. E se precisar, os medicamentos indicados e prescritos por seu médico podem ajudar nesse processo.

O Dr. Drauzio Varella conseguiu vencer o vício do cigarro há muitos anos. Ele tem uma série de dicas para ajudar quem quer parar de fumar que podem ser muito úteis nessa fase. Além disso, o Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Nacional do Câncer mantém uma página com inúmeros artigos a respeito do cigarro.

Posso ter alguma consequência ou problema ao parar de fumar?

A dependência é dada pela nicotina presente no cigarro. Ela é uma droga que age diretamente no cérebro, causando a sensação de relaxamento e reduzindo a ansiedade. É natural que quem fica sem a nicotina tenha sintomas de abstinência. Entre eles pode-se destacar:

  • Ansiedade
  • Irritação, raiva, frustração.
  • Aumento de apetite
  • Insônia
  • Dificuldade de se concentrar
  • Dor de cabeça

Esses sintomas podem ser piores na primeira semana e tendem a diminuir ou cessarem depois do primeiro mês sem o cigarro. Por isso a atenção e os cuidados precisam ser maiores nessa fase. O apoio dos familiares e amigos é fundamental para facilitar o processo.

Mesmo com o desaparecimento desses sintomas, o desejo pelo cigarro pode permanecer por meses ou até anos. O importante é tentar vencer o desejo pela primeira tragada. Terapias com psicólogo podem ajudar, mudanças comportamentais como as descritas acima também. As medicações também têm seu papel nesse processo.

Como os medicamentos ajudam a cessar o tabagismo?

Existem até o momento três medicamentos para ajudar a parar de fumar:

  1. Terapia de reposição da nicotina.
  2. Bupropiona.
  3. Vareniclina.

A terapia de reposição da nicotina é disponível na forma de gomas ou de adesivos e pode ser utilizada em conjunto com a bupropiona (um antidepressivo) ou com a vareniclina (um agonista da nicotina).

Adesivo de nicotina

O adesivo deve ser colado sobre a pele limpa e seca pela manhã e removido a noite. Não é recomendável dormir com o adesivo pois ele pode atrapalhar no sono. Pode-se tomar banho com o adesivo. Pode-se colar nas costas, nos braços, nas coxas. Sempre trocar o lugar quando for aplicar um novo adesivo. Uma vez removido o adesivo deve ser descartado e não deve ser reutilizado.

Gomas de nicotina

As gomas devem ser mascadas sempre que se tiver vontade de fumar. Deve-se mascar até sentir um gosto amargo na boca ou uma sensação de amortecimento, quando então o processo deve ser interrompido, porém a goma deve ficar em um canto da boca até que o gosto ou a sensação passem, quando devem ser mascados novamente. Uma goma deve ser utilizada por pelo menos 30 minutos.

Bupropiona

A bupropiona é um antidepressivo que tem sido estudado e validado para ajudar os fumantes a largarem o cigarro. O uso deve iniciar junto com o cigarro e alguns dias depois deve-se interromper o cigarro e manter a bupropiona. O principal detalhe é que a bupropiona não deve ser tomado a noite, pois pode prejudicar o sono. O último comprimido do dia deve ser tomado antes das 16 horas ou conforme a orientação do seu médico.

Vareniclina

A vareniclina é um medicamento caro e nem sempre fácil de encontrar, além disso não há estudos que mostrem sua segurança em gestantes tabagistas.

A Bupropiona e os adesivos de nicotina podem ser encontrados no SUS em alguns municípios, e muitas vezes só são entregues se prescritos por médicos credenciados e com acompanhamento dos pacientes em um programa de cessação do tabagismo disponível em algumas unidades de saúde. Não há tratamento necessariamente melhor ou pior. O médico é o responsável por ajudar a definir um plano individual para cada caso. As doses dos medicamentos também irão variar conforme o caso.

Tanto a vareniclina quanto a bupropiona devem ser iniciadas algumas semanas antes de se parar de fumar. A terapia de reposição da nicotina só deve ser iniciada no dia em que parar de fumar.

As informações aqui servem de suporte, então nunca é demais lembrar: não faça uso de medicações sem um acompanhamento médico!

Para saber como realizar uma terapia com medicamentos pelo SUS, procure a unidade de saúde mais próxima. Na rede complementar, os pneumologistas e médicos de família são os especialistas que costumam ter treinamento e experiência para tal.

E o cigarro eletrônico, pode ajudar?

O cigarro eletrônico (ou VAPE) é um dispositivo que possui uma bateria, cuja energia é utilizada para aquecer um líquido que cria um vapor que é então inalado por seus usuários. É um dispositivo proibido no Brasil, porém facilmente encontrado. Apesar de ele não conter todas as substâncias presentes no cigarro, a nicotina continua presente, e ainda não há estudos que atestem sua segurança. Por enquanto não parece ser seguro trocar um hábito pelo outro, e não dá para afirmar que o cigarro eletrônico seja menos prejudicial que o cigarro de papel.

Todas as outras formas de consumo de nicotina (charuto, cachimbo, cigarro de palha, narguilé) provavelmente fazem tão mal para a saúde quanto o tradicional cigarro.

E se eu não conseguir parar?

Se alguma coisa der errado e você não conseguir parar ou se parar e voltar a fumar, não desanime. Algumas pessoas conseguem parar mais facilmente, porém outras precisam de várias tentativas antes de conseguir.

Tente descobrir o que o levou a falhar. Não adianta insistir no mesmo erro, pois o resultado possivelmente será o mesmo. Converse com seu médico. Ele pode lhe ajudar.

Resumindo

Passos para enfrentar o tabagismo:

  • Informe-se antes de iniciar o processo.
  • Converse com seu médico a respeito.
  • Defina uma data para parar.
  • Avise seus amigos e familiares de que vai parar.
  • Na véspera, fume seu último cigarro.
  • Se livre do cigarro, isqueiros, fósforos.
  • Procure trocar o hábito do cigarro por um hábito saudável.
  • Se indicado, use as medicações conforme orientação de seu médico.
  • Se deu errado, reflita o que ocorreu e tente novamente.
  • Não desista!

Conclusão

Parar de fumar pode trazer inúmeros benefícios e evitar doenças. Algumas pessoas conseguem largar o vício mais facilmente, outras precisam de uma ajuda. Planejamento e informação são essenciais. Conte com seus familiares e amigos nesse processo. O médico também pode te ajudar, seja com informações ou com medicações. Independentemente de sua idade, nunca é tarde para parar!

Espero que o artigo tenha sido útil. Se tiver dúvidas comente.

Compartilhe com seus conhecidos.

Um forte abraço e até a próxima semana.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como médico de família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

4 comentários em “Quero parar de fumar! Tem como?”

Escreva um comentário