Hipertireoidismo: A doença do metabolismo acelerado

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 4 meses

O hipertireoidismo é uma doença em que ocorre a produção exagerada de hormônios T3 e T4, responsáveis pelo metabolismo do corpo. Com o excesso desses hormônios podem aparecer sintomas como intolerância ao calor, fraqueza, ansiedade, palpitações e perda de peso mesmo sem alterações no apetite.

Este artigo aborda mais detalhes sobre a doença, seus sintomas, diagnóstico e tratamento.

O que é o hipertireoidismo?

O hipertireoidismo é uma doença em que ocorre o aumento da produção dos hormônios T3 e T4. Estes hormônios são normalmente produzidos pela tireoide. A tireoide é uma glândula em formato de uma borboleta com as asas abertas e que fica localizada na região do pescoço.

Quando ocorre um aumento exagerado da produção dos hormônios T3 e T4 ocorre a doença hipertireoidismo.

É uma doença mais comum em mulheres (5 para cada homem) e em fumantes.

Existe uma outra doença mais comum chamada de hipotireoidismo, em que ocorre o contrário, com a redução da produção dos hormônios da tireoide. Se tiver interesse, leia meu artigo sobre o hipotireoidismo.   

O que causa o hipertireoidismo?

Existem várias causas do hipertireoidismo, sendo a mais comum a doença de Graves. Outras causas podem incluir a produção dos hormônios T3 e T4 por outro lugar do corpo que não a tireoide, como a presença de um tumor ou ainda pela ingestão de levotiroxina em excesso. A levotiroxina é um medicamento que se transforma em T4 no corpo, utilizado para o tratamento do hipotireoidismo.

A doença de Graves é uma doença autoimune em que o organismo começa a produzir uma substância (antígeno) que se liga na tireoide e a estimula a produzir mais e mais hormônios T3 e T4. Com esse hiper estímulo a tireoide começa a aumentar de tamanho, podendo produzir um inchaço na região do pescoço. Esse inchaço é devido ao aumento da tireoide e é chamado de bócio. O bócio pode ter um aspecto semelhante a imagem que ilustra este artigo.  

Na doença de Graves é comum também o aumento da parte visível dos olhos. Ocorre o depósito de algumas substâncias na região logo atrás dos olhos, o que acaba os empurrando para a frente e dando um aspecto de olhos grandes, chamado de exoftalmia.

Entre as causas da doença de Graves estão a predisposição genética, tabagismo e uso de medicamentos contendo iodo ou presentes em contrastes de exames como tomografia computadorizada.

Quais os sintomas e consequências do hipertireoidismo?

Vários sintomas podem estar presentes no hipertireoidismo, sendo os mais comuns a intolerância ao calor (sente mais calor do que as outras pessoas), coração acelerado (taquicardia, palpitações ou “batedeira”), ansiedade, emagrecimento apesar de ter apetite normal ou comendo mais do que o usual, aumento do número de evacuações e sensação de falta de ar.

Além desses sintomas é comum encontrar o bócio (aumento da região do pescoço). O bócio nem sempre é visível, podendo ser apenas percebido pelo médico ao examinar o pescoço.

Com o avanço da doença pode aparecer o aumento da parte visível dos olhos (exoftalmia).

Outros sintomas podem incluir: aumento da produção de suor, coceira pelo corpo (prurido), afinamento do cabelo, perda de osso, tornando-os mais porosos e finos, aumento do açúcar no sangue, aumento da frequência urinária, insônia, ansiedade e até psicose. Alguns pacientes podem ficar mais agitados, com a fala mais rápida do que o usual.

Quando suspeitar e como diagnosticar?

Na presença de mais de um dos sintomas comuns, sem outra causa que os justifique, deve-se suspeitar do hipertireoidismo. 

O diagnóstico é feito medindo a concentração dos hormônios TSH (Hormônio Tireoestimulante), T4 e T3 nas suas formas livres. O TSH é um hormônio produzido pelo cérebro e que regula o funcionamento da tireoide. Se a tireoide estiver produzindo muito T3 e T4, o TSH deixa de ser produzido, numa tentativa de sinalizar a tireoide doente para que reduza seu funcionamento.

Se o TSH estiver muito baixo (< 0,1 U/L) e os valores de T3 e T4 estiverem elevados o diagnóstico de hipertireoidismo é confirmado.

O médico poderá então solicitar outros exames para determinar a causa do hipertireoidismo. Se alterações oculares estiverem presentes, confirma-se que a causa é a doença de Graves. Na dúvida o médico pode dosar o TRAb (Anticorpo do receptor de tireotropina), que está elevado na doença de Graves.

Outro exame comum é a cintilografia da tireoide. Neste exame o paciente precisa ingerir uma pequena quantidade de iodo radioativo. O iodo é o ingrediente base dos hormônios T3 e T4. Se a tireoide for a produtora do T3 e T4 em excesso no sangue, então o iodo irá se ligar na tireoide e será visualizado na cintilografia. Caso contrário (cintilografia não mostra o iodo radioativo na tireoide), então é porque existe outro local do corpo produzindo os hormônios causadores do hipertireoidismo e a investigação precisa prosseguir para descartar tumores ou outras doenças graves.

Tem cura? Como tratar o hipertireoidismo?

Se a causa for a doença de Graves, o tratamento é feito com um medicamento do tipo betabloqueador que reduz a frequência do coração e melhora alguns dos sintomas.

Além disso, o medicamento metimazol (tapazol) costuma ser utilizado para controlar a produção de T3 e T4 pela tireoide. É um medicamento que precisa de uma série de cuidados para ser utilizado, pelo risco de poder causar uma condição chamada de agranulocitose, que pode ter riscos para a saúde. O médico poderá solicitar vários outros exames a cada 2 ou 3 meses para ter um controle adequado do tratamento e de suas consequências.

Em alguns poucos casos é possível descontinuar o uso do metimazol após alguns anos e obter a cura espontânea da doença. Porém o retorno da doença é comum nestes casos.

É possível ter uma cura definitiva para o hipertireoidismo realizando a “destruição” da tireoide. Isto pode ser feito tomando um medicamento radioativo que destroi e elimina a tireoide (ablação com iodo radioativo) ou ainda com cirurgia de remoção da glândula.

Em ambos os casos o paciente não terá mais a produção de T3 e T4, tornando-se hipotireoideo. E sendo necessário nesse caso tomar um medicamento chamado de levotiroxina, que vai permitir a normalidade da quantidade dos hormônios T3 e T4 no corpo. 

Troca-se a doença HIPERtireoidismo (bem mais grave) pelo HIPOtireoidismo, uma doença bem mais fácil de tratar e com menos consequências.

Conclusão

O hipertireoidismo é uma doença em que ocorre a produção exagerada de hormônios responsáveis pelo metabolismo do corpo. A principal causa é a doença autoimune de Graves. Os principais sintomas são a intolerância ao calor, taquicardia, ansiedade e emagrecimento. O bócio é um sinal comum além do aumento da parte visível dos olhos chamado de exoftalmia. O diagnóstico é feito dosando os hormônios TSH, T4 e T3 livre, sendo confirmado com um TSH baixo e T3 e T4 aumentados. O tratamento pode ser feito com medicações, porém a cura definitiva vem com a eliminação da tireoide através de cirurgia ou ablação com iodo radioativo. A pessoa passa de um estado de hipertireoidismo para hipotireoidismo, que é mais fácil de tratar e tem menos consequências.

Se ficou com dúvidas deixe nos comentários. 

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como Médico de Família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário