Infecção urinária: dor para urinar é cistite?

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 5 meses

Infecção urinária é uma doença aguda muito comum, principalmente nas mulheres. Existem basicamente dois tipos de infecção urinária: cistite e pielonefrite. A cistite é a infecção da bexiga, muitas vezes chamada de infecção do trato urinário inferior. A pielonefrite é a infecção dos rins ou infecção do trato urinário superior.

Este artigo aborda as particularidades da infecção urinária em crianças, mulheres e homens adultos, idosos e gestantes.

*Prefere assistir? O conteúdo desse artigo também está disponível no vídeo abaixo:

Vídeo: Como saber se estou com INFECÇÃO URINÁRIA?

Está com DOR para fazer XIXI? Descubra com um MÉDICO se pode ser INFECÇÃO URINÁRIA e como resolver

O que é infecção urinária

O sistema ou trato urinário é composto pelos dois rins, que filtram o sangue e formam a urina, contendo água e demais compostos que não são necessários ou estão em excesso no organismo. Dos rins, a urina desce pelos ureteres até a bexiga onde é armazenada até que fique cheia e você sinta vontade de urinar. A urina atravessa a uretra até sair do corpo. Nos homens sai pelo pênis e nas mulheres pela vulva.

Quando a infecção é na bexiga recebe o nome de cistite ou infecção do trato urinário inferior.

Já a infecção nos rins recebe o nome de pielonefrite ou infecção do trato urinário superior.

A principal bactéria responsável pelas infecções urinárias é a Escherichia coli que é encontrada normalmente no interior do intestino. A infecção ocorre principalmente pelas bactérias que estão na região anal e que se multiplicam, atingindo a uretra e chegando até a bexiga. Infecções não tratadas podem fazer com que as bactérias aumentem cada vez mais e atinjam os rins, fazendo a infecção que recebe o nome de pielonefrite.

Sintomas de infecção urinária

Os sintomas de infecção na bexiga incluem:

  • Dor ou ardência quando está fazendo xixi.
  • Necessidade de fazer xixi mais vezes do que o habitual.
  • Necessidade de urgência para fazer xixi.
  • Presença de sangue no xixi.
  • Dor na região da barriga logo abaixo do umbigo.

Já quando existe infecção nos rins, além dos sintomas de infecção na bexiga, ainda podem estar presentes:

  • Febre.
  • Dor nas costas.
  • Nausea, mal-estar ou vomito.

Se você, seu filho ou a pessoa que estiver sob sua responsabilidade tiver qualquer um dos sintomas acima é importante procurar um médico.

Infecção urinária em crianças

Algumas crianças têm maior chance de desenvolver infecção urinária do que outras. Os principais fatores que favorecem as infecções urinárias em crianças são:

  • Meninas com menos de 4 anos e meninos com menos de 1 ano de idade.
  • Meninos que não foram circuncisados (que não tiveram a remoção do prepúcio – a pele que recobre a cabeça do pênis).
  • Crianças que precisam usar cateter urinário por muito tempo.
  • Mal formações do trato urinário.
  • Mal funcionamento da bexiga.
  • Ter tido história de pelo menos um episódio de infecção urinária na vida.

Crianças maiores do que dois anos podem avisar sobre sintomas que sugerem infecção urinária, entre eles:

  • Dor ou ardência para fazer xixi.
  • Necessidade de fazer xixi mais vezes do que o usual.
  • Criança que começam a fazer xixi na cama, que antes não faziam.
  • Dor na parte inferior da barriga (abaixo do umbigo) ou nos lados das costas na altura das costelas.
  • Febre.

Já nas crianças menores é mais difícil de saber se há uma infecção urinária em curso. Mas os sintomas que a sugerem são principalmente:

  • Febre.
  • Irritabilidade (choro que não passa) ou agitação.

Em crianças é possível coletar uma amostra de urina e fazer o teste com a fita urinária no próprio consultório médico. Normalmente não há por que esperar a cultura da urina para se tratar se o resultado da fita já sugere o diagnóstico. Na indisponibilidade da fita, o médico pode pedir dois exames: parcial de urina e cultura de urina. O parcial de urina tem o resultado saindo normalmente no próprio dia ou no dia seguinte ao da coleta, e diante do resultado já é possível ter um certo grau de certeza e iniciar o tratamento sem esperar o resultado da cultura, que pode levar vários dias para ficar pronto.

Em alguns casos, o médico pode solicitar um ultrassom das vias urinárias, especialmente no primeiro episódio sugestivo de infecção urinária em crianças muito pequenas. Esse exame pode detectar ou descartar problemas de mal formação nas vias urinárias.

Após o início do tratamento com antibióticos, é esperado que haja alguma melhora em 48 horas do início do medicamento. Na dúvida entre em contato novamente com seu médico.

Infecção urinária em mulheres adultas

A cistite é muito mais comum em mulheres do que em homens. Isto é devido ao fato de o ânus estar mais próximo da uretra nas mulheres do que nos homens, e também pelo fato de a uretra das mulheres ser mais curta que a dos homens.

Só há recomendação de se tratar infecções urinárias que tenham sintomas. Infecções urinárias encontradas em exames de urina e que não tenham sintomas não devem ser tratadas, e por isso não há motivo para se pedir exames de cultura de urina em mulheres adultas que não estejam grávidas e que não tenham sintomas de infecção urinária.

O exame parcial de urina pode detectar a presença de bactérias, mas de novo, só deve ser tratado se existirem sintomas associados.

Para mulheres que costumam ter várias  infecções urinárias, as recomendações a seguir podem ajudar a evitá-las:

  • Beber pelo menos 2 litros de água por dia, de forma a produzir mais urina e permitir “lavar” a uretra com a saída do xixi.
  • Lavar a região genital antes e depois das relações sexuais, de forma a reduzir a quantidade de bactérias presentes na região e que podem se deslocar até a uretra durante a relação. Urinar após as relações também pode ajudar.
  • No verão, evitar ficar muito tempo com roupas de banho úmidas.
  • Evitar usar roupas íntimas de material sintético. Dê preferência para roupas de algodão que permitem melhor ventilação e evitam o acúmulo de umidade, que são ambientes que as bactérias preferem (calor e umidade).

Toda mulher com sintomas de infecção urinária pode ser tratada sem necessidade de qualquer exame. Exame de urina ou de cultura de urina só precisam ser pedidos se houverem infecções urinárias repetidas vezes em um único ano.

Infecção urinária em homens adultos

Infecção urinária em homens é mais rara do que nas mulheres, especialmente devido a uretra ser muito maior nos homens e devido ao líquido prostático ter características bactericidas. 

Diferente das mulheres, todo homem com sintomas de infecção urinária precisa ter um exame de urina e de cultura de urina para confirmar a infecção e detectar qual a bactéria que está causando a infecção urinária.

Homens podem ter infecção na próstata que podem ser confundidas com uma infecção urinária. Além disso, quando há pus na urina é possível que seja outra doença chamada de uretrite (causada pelas bacterias Neisseria gonorrhoeae ou Chlamydia trachomatis) e o tratamento é completamente diferente.

Por isso, na presença de sintomas de infecção urinária, ou pus na urina, os homens devem procurar um médico.

Infecção urinária em gestantes

Infecção urinária nas gestantes é extremamente comum. Toda gestante precisa fazer o pré-natal com consultas periódicas com um obstetra ou médico de família. Em cada trimestre são sempre pedidos exames de urina e cultura da urina.

Diferentemente de mulheres não grávidas, mesmo na ausência de sintomas, as infecções urinárias encontradas em exames de gestantes devem ser tratadas com antibióticos. E uma vez tratado é necessário confirmar o tratamento com novo exame de urina, coletado pelo menos 7 dias depois do fim do antibiótico.

Essa preocupação maior com as gestantes é devido ao fato de que infecções urinárias podem principalmente predispor a partos pré-maturos, que são aqueles que ocorrem antes de 37 semanas de gestação.

Nem todo antibiótico receitado para adultos pode ser tomado por gestantes devido a possíveis problemas com a gravidez.

Não deveria precisar fazer essa afirmação, mas nunca é demais lembrar: não tome medicamentos que não foram receitados por seu médico!

Infecção urinária em idosos com comorbidades

O simples fato de ser idoso não necessariamente aumenta a chance de ter infecção urinária. Porém, algumas condições de saúde, que são mais comuns em idosos, podem aumentar os riscos de infecções urinárias, entre elas:

  • Imobilidade (causado por AVC, por exemplo, ou outra condição).
  • Uso de fraldas.
  • Uso de cateter.
  • Hipertrofia prostática benigna (aumento da próstata nos homens idosos).
  • Prostatite (infecção da próstata).
  • Atrofia vaginal e deficiência de estrogênio (mais comum na menopausa)
  • Diabetes.
  • Bexiga neurogênica.
  • Demência (Alzheimer ou outras demências).
  • Desidratação (por baixa ingesta de água ou outra condição).

Algumas vezes em idosos muito frágeis ou debilitados, o simples fato de uma mudança de comportamento, com o aparecimento repentino de confusão mental, pode indicar a presença de infecção urinária.

Não há necessidade de fazer exame de rotina de cultura de urina em todo idoso, porém na presença de sintomas de infecção urinária ou confusão mental de aparecimento súbito em idosos, procure um médico de confiança.

Coleta de urina

O principal cuidado na coleta da urina é garantir que não haja contaminação da urina com as bactérias presentes na pele da região genital.

Coleta de urina em crianças

Crianças podem representar um desafio para a coleta de urina sem contaminação.

Para aquelas que conseguem fazer xixi sozinhas, deve-se limpar a região genital com água e sabão antes da coleta. O adulto que estiver a orientando deve também lavar bem as mãos antes de ajudar.

As meninas devem ter a região da vagina e do períneo limpas antes da coleta. Nos meninos não circuncisados é importante expor a glande, puxando a pele que a recobre e lavar a região da cabeça do pênis antes da coleta.

Orientar a criança a fazer um jato de urina de forma a limpar o canal do xixi (uretra), coletando o próximo jato no pote de coleta e transferir parte do conteúdo para o tubo menor.

Tampe bem o frasco e leve até o laboratório.

Nos meninos é importante lembrar de recolocar a pele que recobre a cabeça do penis na posição original, de forma a prevenir a formação de uma condição chamada de parafimose.

Em crianças pequenas é possível tentar fazer a coleta em bolsas coletoras encontradas nas farmácias. É importante lavar bem a região do períneo antes de colar a bolsa coletora ao redor da região genital. O médico poderá fornecer orientações detalhadas para tentar ajudar a garantir uma coleta sem contaminação.

Em alguns casos em que é extremamente necessária uma coleta de urina em crianças pequenas, o médico pode fazer a coleta da urina com o auxílio de um cateter colocado diretamente na uretra ou ainda pela aspiração da urina com uma agulha diretamente na bexiga. Tais procedimentos são normalmente realizados em ambientes hospitalares e em situações de maior gravidade.

Coleta de urina em adultos

Para uma correta coleta, você deve higienizar bem as mãos. Evite encostar no interior dos frascos de coleta. 

O ideal é obter o xixi da manhã, mas se o médico indicar, pode ser realizado com o xixi coletado em qualquer horário.

Lave bem as mãos antes da coleta. Algumas pessoas preferem tomar um banho ou lavar a região com água e sabão antes da coleta. Isso não é estritamente necessário, mas pode ajudar a garantir uma coleta limpa e sem contaminação.

O primeiro jato do xixi deve ser desprezado no vaso sanitário, ele serve para limpar a uretra e a parte externa da região genital.

O próximo jato deve ir para dentro do pote de coleta.

Homens devem evitar encostar o penis no interior do frasco de coleta.

Transfira parte do conteúdo do pote de coleta para o tubo menor, sempre tomando o cuidado para não encostar na parte interna da tampa ou no interior do frasco. 

Tampe bem o frasco e o leve até o laboratório.

Idosos acamados e que necessitem usar fraldas representam um desafio. Pode-se tentar coletar uma amostra de urina com a ajuda de bolsas coletoras, desde que se garanta uma higiene da região genital antes de prender a bolsa no períneo.

Tratamento

A maioria das infecções urinárias é tratada com antibióticos.

Existem inúmeras possibilidades de antibióticos, e sua indicação pode variar conforme a faixa etária. Existem antibióticos que precisam ser tomados em uma única dose, já outros devem ser tomados 2 ou até 4 vezes ao dia. Infecções na bexiga são tratadas normalmente por tempo mais curtos de 3 ou até 7 dias. Já infecções dos rins necessitam muitas vezes de um uso de antibióticos por mais tempo.

Em alguns casos mais complicados de infecção nos rins, pode ser necessário fazer tratamento em um hospital, com antibióticos sendo aplicados na veia.

O médico pode receitar um tipo de analgésico para aliviar o sintoma de dor para fazer xixi, principalmente nos primeiros dias de tratamento até que o antibiótico faça seu melhor efeito.

É extremamente importante tomar o antibiótico conforme a indicação do médico. Mesmo que os sintomas melhorem logo no primeiro dia, continue tomando o antibiótico pelo tempo indicado pelo médico.

Se esqueceu de tomar alguma dose, tome assim que lembrar. Porém se estiver se aproximando de tomar a próxima dose, melhor pular a dose esquecida, para evitar tomar uma dose dobrada. Nesse caso estenda o tempo de tomada e adicione a dose que sobrou no final do tratamento. Por exemplo, se você esqueceu de tomar uma dose e já estava na hora de tomar a dose seguinte e o médico o orientou a tomar o antibiótico por 7 dias, tome o comprimido ou capsula que sobrou no início do oitavo dia.

O primeiro comprimido pode ser tomado assim que adquiriu o medicamento. Por exemplo, se você tem uma indicação de tomar o antibiótico a cada 12 horas, e decidiu que é mais fácil tomar às 7hs da manhã e às 19hs da noite, passou em consulta pela manhã e às 11 horas da manhã já está com o medicamento em mãos, tome a primeira dose às 11 horas, e a próxima às 19 horas, seguindo as próximas tomadas às 7 e às 19hs. 

Infecções urinárias de repetição

Algumas pessoas têm várias infecções urinárias durante o período de um ano. Se este for o seu caso, o médico pode prescrever algum tipo de antibiótico em dose baixa (muitas vezes um comprimido por dia) para ser tomado como forma de prevenção.

Pessoas que necessitam de fraldas, ou que tenham pouca mobilidade, ou ainda que tenham passado por algum tipo de cirurgia no trato urinário, podem ter mais propensão a infecções de repetição.

Porém, como todo medicamento, o uso contínuo de antibióticos pode trazer efeitos colaterais. O médico pode te orientar a aumentar a ingesta de água, ou higienizar melhor ou mais vezes a região genital, antes de indicar um antibiótico profilático.

Conclusão

Infecções urinárias são condições relativamente comuns, especialmente em mulheres e gestantes. Crianças e idosos acamados podem representar um desafio para a coleta de urina. O tratamento das infecções urinárias é feito com antibióticos e só devem ser realizados em pessoas com sintomas, com exceção das gestantes que devem ser tratadas mesmo que na ausência de sintomas pelo risco de parto pré-maturo. Não tome medicamentos que não sejam receitados por um médico.

Espero que tenha gostado do artigo.

Para saber das novidades do blog siga minhas redes sociais.

Abraços e até a próxima.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como Médico de Família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário