Use filtro solar

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 21 dias

Eu devia ter uns 7 anos quando fui passar um dia todo numa praia do litoral catarinense com minha irmã e meus primos. Lembro que era uma praia com uma faixa de areia imensa. Tinha muita areia branca e quase nada de vegetação. Era uma praia com nenhum comércio, salva-vidas, ou qualquer outra infraestrutura que se vê atualmente. Minha mãe e minha tia providenciaram nosso lanche. Brincamos e nos divertimos o dia todo naquela água azul e calma, e corremos muito na areia fofa e reluzente, debaixo de um sol escaldante.

Foi só no final da tarde que descobri pela primeira vez o que era queimadura solar. Minha irmã, que tinha uma cutis branca – quase que como um papel sulfite – estava agora com a pele toda vermelha como um tomate maduro. Reclamava de dor de cabeça e mal-estar. Seu corpo estava sobreaquecido, parecendo pegar fogo. Descobri que aquela não era apenas uma queimadura de pele causada pelo sol, mas sim uma condição um pouco mais grave chamada de insolação. Por sorte foi um episódio leve, sem necessidade de hospitalização, resolvido com muita hidratação e banhos frios.

O filtro (ou protetor) solar talvez pudesse ter evitado o episódio. Minha mãe sempre foi muito cuidadosa e com certeza o aplicou em nós, porém, como era de costume na época, e ainda é até hoje, pode ter usado uma quantidade pequena e ter reaplicado poucas vezes durante o período de exposição ao sol.

Para tentar ajudar a todos que já passaram ou para evitar passar por esse tipo de problema, este artigo tenta trazer as principais recomendações, à luz da ciência, sobre o uso do filtro ou protetor solar. São abordados os tipos existentes, quantidade a ser aplicada, FPS recomendado, quando aplicar e reaplicar entre outras questões.

Boa leitura.

Introdução

Nada com um dia ensolarado para nos deixar mais animados e empolgados. Além disso, a exposição ao sol é necessária para a produção de vitamina D pela pele. Porém, o sol em excesso pode fazer mal, principalmente devido à radiação ultravioleta (UV), causando queimaduras na pele, envelhecimento precoce, além de predispor ao câncer de pele. Existem principalmente dois tipos de raios ultravioletas: o A e o B, que diferem no comprimento de onda. O do tipo B (UVB) é o que mais queima a pele e o UVA o que mais contribui para o envelhecimento. Ambos estão envolvidos no câncer de pele.

Tipos de protetor solar

O protetor solar é um creme ou líquido que contém filtros que refletem ou absorvem a luz ultravioleta, protegendo a pele dos efeitos nocivos do sol. Existem basicamente dois tipos de produtos que os formam: os orgânicos (ou químicos) e os inorgânicos (ou físicos). Os primeiros atuam como uma espécie de “esponja” química, absorvendo os raios solares. Já os físicos formam um escudo de proteção contra o sol, refletindo os raios solares. Praticamente todos protegem a pele dos raios ultravioletas UVB, e alguns do UVA. Os mais comuns são os orgânicos, porém os inorgânicos, compostos por óxido de zinco e dióxido de titânio são os que têm a maior faixa de proteção. 

De acordo com os rótulos de alguns dos protetores solares vendidos no país, eles são compostos por uma mistura de vários produtos para fazer sua função. Alguns são mais oleosos, cremosos. Outros com aspecto mais líquido e seco. Há ainda os que são aplicados na forma de spray, e os em formato de bastão para serem aplicados nos lábios. Existem alguns que têm pigmentos na sua composição, imitando a cor natural da pele, para tentar amenizar aquele efeito de cara pálida. Existem ainda aqueles com resistência à água, prometendo garantir a proteção por até cerca de 2 horas dentro da água, devendo então ser reaplicados.

Em resumo, independentemente do tipo, o mais importante é você procurar um protetor que se adapte ao seu gosto pessoal e que tenha proteção tanto UVA quanto UVB. Outra questão fundamental é o Fator de Proteção Solar (FPS).

Fator de Proteção Solar (FPS)

O Fator de Proteção Solar ou FPS mede a capacidade de proteção do creme contra as reações de queimadura da pele, que ocorre principalmente pelos raios UVB. Não encontrei informações confiáveis sobre sua real origem, porém o cálculo do FPS parece ser feito de forma experimental, usando uma fonte de luz simulando o sol e avaliando a reação da pele de voluntários que aplicaram o protetor solar. Nestes testes há uma padronização na quantidade de protetor solar a ser aplicada que é de 2mg/cm2 de superfície corporal (mais sobre isso abaixo).

A quantidade de raios UVB que é absorvida segue uma escala não linear, filtrando o equivalente a uma porcentagem dos raios solares calculada como (FPS-1)/FPS. Seguindo esse cálculo, protetores com FPS 15, 30, 50 e 100, filtram respectivamente 93, 97, 98 e 99% dos raios UVB. Por esses valores parece que qualquer FPS fornece boa proteção. Mas os testes mostram que as chances de se queimar com o uso de protetores solares com FPS maiores diminuem muito. Num estudo de 2017, a diferença de queimaduras em quem usou protetor FPS 100 comparado com FPS 50 foi de 55% de queimaduras com a proteção menor, contra 5% de queimaduras com o FPS maior. Parece que ainda é um assunto sem resultados definitivos, porém tudo aponta que FPS maiores são melhores para a proteção.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia é a mesma da Sociedade Americana de Dermatologia, recomendando o uso de protetor solar de FPS no mínimo 30

Outra questão apontada é que essa proteção só é garantida se o uso for na quantidade recomendada (2mg/cm2 de area do corpo). Por isso, alguns especialistas sugerem usar um FPS maior, que, mesmo em quantidade reduzida, poderia ter uma proteção efetiva.

Como o custo financeiro do protetor solar é proporcionalmente direto em relação ao FPS, uma sugestão seria usar um FPS maior no rosto (50 ou mais), que é a parte mais exposta à luz solar direta e FPS menores (30 ou mais) na area de membros, que naturalmente têm uma pele mais espessa.

Quem deve usar?

A recomendação é a de que todos, independentemente da idade ou cor da pele, devem usar.

A exceção fica por conta das crianças menores de 6 meses. Estas não devem usar protetor solar, mas também não devem ser expostas diretamente ao sol. Se for necessário, sempre proteger a criança com a ajuda de sombrinhas, coberturas de carrinhos, toalhas, entre outras.

E depois dessa idade verifique na embalagem se o protetor é adequado para a idade do bebê.

Quando usar?

O ideal é usar todos os dias em toda a área de pele que tiver exposição ao sol. E usar mesmo em dias nublados, pois cerca de 80% dos raios UV podem ultrapassar as nuvens. O ideal é que seja aplicado 30 minutos antes da exposição solar, aguarde-se 10 a 20 minutos antes de colocar alguma roupa sobre a parte que foi aplicado e reaplicado a cada 2 horas. Sempre que nadar, entrar na água, ou suar muito, o protetor solar deve ser reaplicado. Aqueles que se dizem “resistentes à água” duram pelo menos 40 minutos dentro da água e os “ultra resistentes à água” duram pelo menos 80 minutos.

Entendo que essas regras nem sempre são fáceis de se realizar no dia a dia, mas num período de férias ou ida para a praia, é completamente factível. 

Usar, mesmo que não seguindo todas as recomendações à risca, é melhor do que não usar.

Quantidade

Os estudos são realizados de forma padronizada e as recomendações de tempos de reaplicação e do FPS a ser utilizado são todos baseadas em testes com uso de 2mg/cm2 de área de pele. Isso dá aproximadamente 35mL de protetor solar para cobrir todo o corpo de um adulto médio. O que parece muito e dificilmente é seguido. 

Uma forma mais prática para saber qual a quantidade a ser aplicada em cada parte do corpo é usar a regra da colher de chá.

Regra da colher de chá

A colher de chá é aquela que normalmente usamos para adoçar o café da manhã. Ela é intermediária entre a colher de café e a colher de sobremesa. Uma colher de chá rasa tem aproximadamente 5mL, que é a medida que estamos interessados.

Numa aproximação visual, você deve aplicar:

  • Rosto e pescoço: 1 colher e chá de protetor.
  • Peito, abdome e costas: 2 colheres de chá.
  • Braços: 1 colher e chá em cada braço
  • Pernas: 2 colheres de chá em cada perna.

No total são recomendados o equivalente a 9 colheres rasas de chá de protetor solar para cobrir todo o corpo (1 no rosto e pescoço, 2 no peito, abdome e costas, 1 para cada braço e 2 para cada perna). Isso dá cerca de 45mL de protetor, o que excede a quantidade recomendada, mas serve como uma boa aproximação segura.

É sabido que o uso real é muito menor do que essa quantidade. Se você usa protetor solar apenas no rosto e pescoço, seriam 5mL/dia. Um frasco de protetor solar tem entre 120 e 150mL, o que daria para cerca de 30 dias de uso. Tenho certeza de que se você faz uso diário, seu protetor solar dura muito mais do que isso. Por isso usar protetores com FPS maiores é altamente recomendado.

Outras medidas de proteção

Além do protetor solar, outras medidas devem ser tomadas:

  • Usar bonés e chapéus sempre que se expor ao sol.
  • Usar roupas de manga comprida.
  • Roupas com proteção solar são indicados. O algodão comum tem FPS natural de cerca de 5 a 7. Quanto menor a trama do fio, melhor a proteção. Os tecidos escuros refletem a luz solar (o que é bom) e aqueles tratados e que garantem um FPS de 30 ou mais são recomendados. 
  • Usar óculos escuros, de preferência com proteção UV. A maioria das óticas possuem aparelhos que verificam a proteção UV das lentes. Cuidados com óculos piratas. A exposição ocular ao sol é uma das principais causas de catarata.
  • Ficar na sombra, embaixo de um guarda-sol ou usar uma sombrinha também ajuda na proteção.
  • Cuidado com o calor refletido pela areia da praia.
  • Evitar exposição solar no período entre 10 e 16 horas, o horário de pico dos raios UVB.
  • Beber muito líquido quando exposto ao sol e ao calor.

Vitamina D

É sabido que boa parte da vitamina D que temos em circulação na corrente sanguínea é produzida pelas células da pele em contato com o sol. Sendo assim, usar protetor solar reduz a produção dessa vitamina, responsável principalmente por aumentar a absorção do cálcio no intestino. O cálcio é importante para diversos processos do corpo e é componente primordial da constituição dos ossos.

É possível obter um pouco de vitamina D da dieta, especialmente em alimentos como peixes, frutos do mar, ovos, leite, queijos, cogumelos, fígado, entre outras carnes.

A quantidade de vitamina D necessária diariamente por indivíduos saudáveis ainda é assunto controverso. Estima-se que sejam necessárias cerca de 600UI de vitamina D para um adulto que não tenha nenhuma exposição solar.

Devido ao fato de que o risco de cancer de pele é bastante alto em um país tropical como o nosso, que a quantidade de vitamina D produzida pela exposição solar é inconsistente, e que a grande maioria das pessoas não segue as recomendações corretas de quantidade e tempo de reaplicação do protetor solar, a recomendação é a de usar protetor solar diariamente além de ter uma alimentação equilibrada. Não há recomendação formal de suplementação de vitamina D para pessoas que usem protetor solar e nem de dosagem dessa vitamina de forma rotineira. 

O ideal é conversar com seu médico, que irá individualizar seu caso e fazer as recomendações adequadas.

E se eu tiver me queimado?

Acidentes as vezes acontecem, especialmente no verão e em períodos de férias. As queimaduras solares são em sua maioria limitadas e se resolvem sozinhas sem deixar sequelas. O principal tratamento é sintomático, além de hidratação. O uso de compressas ou banhos frios pode ajudar. Loções a base de calamina aplicadas várias vezes ao dia também ajudam a aliviar a queimação e a coceira eventual.

Se bolhas aparecerem na pele, não as rompa. Deixe-as romper naturalmente. Lave apenas com água e sabão/sabonete. A dor local pode ser amenizada com o uso de anti-inflamatórios.

Em caso de sintomas de gravidade, tais como vômitos, febre, dor de cabeça que não melhora ou desidratação, procure um pronto atendimento imediatamente.

Resumo

Para se proteger dos raios ultravioletas o ideal é:

  • Usar protetor solar com FPS 30 ou superior no corpo e FPS 50 ou maior na região do rosto.
  • Que proteja tanto de raios UVA quanto UVB.
  • Todas as pessoas devem usar, independentemente da idade ou cor de pele.
  • Crianças menores de 6 meses não devem usar protetor solar.
  • Usar todos os dias sempre que tiver exposição ao sol, mesmo em dias nublados.
  • Aplicar pelo menos o equivalente a 1 colher de chá rasa no rosto e pescoço, 2 no peito, abdome e costas, 1 em cada braço e 2 em cada perna.
  • Usar bonés, chapéus, roupas com proteção solar, sombrinhas e óculos escuros.

Se houver queimaduras leves, use loções a base de calamina além de banhos frios. Em caso de vômitos, febre ou outros sintomas, procure ajuda médica imediatamente.

Desejos de muita proteção. Cuide-se! 

Se ficou com dúvidas ou tem alguma sugestão, crítica ou elogio, escreva nos comentários abaixo ou nas redes sociais.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como Médico de Família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário