Trombose: O perigo dos coágulos nas veias

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 8 meses

A trombose é uma doença em que ocorre o entupimento de uma veia por um coágulo de sangue. É mais comum de ocorrer nas pernas, o que causa dor e inchaço. Um grave risco para a saúde é quando um desses coágulos se desprende das pernas e acaba parando nos pulmões, o que acaba dificultando a respiração e pode ser fatal.

Neste artigo você vai aprender como e por que a trombose acontece, quais as pessoas que têm mais riscos de formar coágulos nas veias, além de como é feito a confirmação da doença e seu tratamento. No final você vai encontrar dicas de como evitar a trombose e suas complicações.

O que é a trombose?

Trombose significa formação de coágulos de sangue, também chamados de trombos. Para entender a doença é importante conhecer de forma geral como o sangue circula no corpo.

Sistema Circulatório
Imagem adaptada de Freepik

O sangue oxigenado pelos pulmões é bombeado pela parte esquerda do coração através das artérias, sendo a aorta a maior e mais importante. Esse sangue se distribui por todo o corpo, incluindo a cabeça, os órgãos internos, as pernas e os braços. As artérias vão se ramificando em vasos cada vez menores até que se transformam nas veias.

As veias transportam o sangue pobre em oxigênio – pois esse gás ficou distribuído pelo corpo. As veias vão então se tornando cada vez mais grossas até chegarem novamente no lado direito do coração pela veia cava. Dali o sangue é então ejetado para os pulmões para ser novamente oxigenado e reiniciar o ciclo do sangue.

O problema com a trombose é justamente na formação de coágulos dentro das veias. As veias mais comumente afetadas são as das pernas, porém, apesar de raro, as dos braços também podem ser afetadas.

Por que os coágulos se formam?

A teoria mais aceita é a de que existem 3 fatores que contribuem para a coagulação do sangue. Eles são chamados de Triade de Virchow, em homenagem ao patologista alemão Rudolf Virchow que foi quem a descreveu. Os 3 fatores são:

  1. Diminuição na velocidade da circulação do sangue como quando ficamos muitas horas sentados e sem se movimentar por conta de uma viagem longa de avião.
  2. Lesão em algum vaso como devido a alguma cirurgia, queimadura, infecção, doenças como câncer ou outros danos nas veias.
  3. Alterações no sangue: alguma condição que deixe o sangue mais “grosso”, mais fácil de coagular, incluindo doenças e uso de algumas medicações.

Algumas pessoas que desenvolvem trombose têm apenas um dos fatores, e outras mais de um.

Por exemplo, quem é submetido a uma cirurgia que precise ficar muitos dias internados, acaba ficando de cama, sem se movimentar, o que reduz a velocidade da circulação do sangue. Além disso, os cortes feitos para a cirurgia também favorecem as lesões nos vasos sanguíneos, o que predispõe à trombose.

Mulheres que tomam anticoncepcional e que tenham alguma predisposição genética podem ter trombose devido a alteração no sangue que o medicamento proporciona. Além disso, as alterações hormonais da gravidez também favorecem as alterações sanguíneas.

O cigarro também favorece as lesões, os machucados nos vasos sanguíneos. É por isso que quem fuma não deve usar anticoncepcional.

Quais os problemas em se ter trombose?

O entupimento de veias fininhas e superficiais normalmente não traz grandes problemas, deixando apenas a pele com coloração avermelhada, dolorida e eventualmente infeccionada.

O problema com a trombose é quando um coágulo entope uma veia de calibre maior e mais profunda. Neste caso temos a doença conhecida por Trombose Venosa Profunda.

Uma complicação grave da trombose é quando um coágulo se desprende, viaja pela corrente sanguínea e vai parar dentro dos pulmões, levando a uma condição chamada de Tromboembolismo Pulmonar, que pode ser fatal.

*Apesar de parecido com as varizes, estas são um problema diferente, que ocorre por conta de defeitos nas válvulas presente nas veias. Saiba mais lendo meu artigo sobre as varizes.

Trombose Venosa Profunda

Um coágulo em uma veia de calibre grosso e no interior das pernas pode trazer consequências mais sérias. A perna pode inchar e ficar muito dolorida. Ela também pode ficar mais aquecida do que a perna que não foi afetada, e ficar avermelhada.

É mais comum afetar apenas uma perna em um momento, mas nada impede que ambas as pernas sejam acometidas.

Você deve procurar um médico assim que possível. Uma trombose venosa profunda pode melhorar com algumas medidas, porém pode evoluir para o temido Tromboembolismo Pulmonar.

Tromboembolismo Pulmonar (TEP)

Quando uma pessoa tem Trombose Venosa Profunda, um dos coágulos que está entupindo uma veia de grosso calibre das pernas pode se soltar e parar nos pulmões. Isso é o Tromboembolismo Pulmonar.

Os principais sintomas são os relacionados com a respiração. É comum a sensação de falta de ar, a dificuldade para puxar o ar, o folego curto. Além disso a dor no peito pode ser muito forte, principalmente quando se respira.

Algumas pessoas podem acabar tendo tosse, inclusive com saída de sangue pela boca ou nariz. O coração também pode bater mais rápido.

Isso é uma EMERGÊNCIA MÉDICA. Pessoas que tenham qualquer um desses sintomas, principalmente se tiverem a perna inchada, com suspeita ou confirmação de Trombose Venosa Profunda, devem procurar um pronto atendimento IMEDIATAMENTE.

Como saber se posso estar com trombose?

A simples presença de sintomas, com o inchaço de uma ou de ambas as pernas, com dor local e vermelhidão, já fazem o médico suspeitar da trombose.

Se tiverem outros fatores de risco associados, como uma viagem recente, cirurgia, ou qualquer outro fator que favoreça a imobilização, ou ainda o uso de algumas medicações ou outras doenças que favoreçam a coagulação do sangue, a suspeita torna-se ainda mais forte.

Para confirmar o diagnóstico o médico irá pedir uma ultrassonografia com doppler dos vasos da perna ou da região afetada. O doppler é um recurso adicional do ultrassom, que permite detectar a velocidade e a direção do fluxo de sangue dentro dos vasos, o que possibilita detectar o entupimento das veias.

Quando existem alguns sintomas da trombose, porém a causa parece ser outra, o médico pode pedir um exame de sangue chamado de D-Dimero. O D-Dimero é uma substância presente no sangue que aumenta muito em quem tem trombose, mas também pode aumentar em diversas outras condições como infecções.

Foi comum durante a pandemia alguns médicos pedirem equivocadamente o D-Dimero para pessoas que tinham covid. O D-Dimero aumenta com gripes, resfriados e também com covid. Mas isso não quer dizer que você esteja com trombose.

Ou seja, o D-Dimero serve para descartar o diagnóstico de trombose quando ele está com valores baixos ou normais, mas não para confirmar.

Além desses e dependendo das condições, outros exames como tomografia ou angiotomografia de tórax podem ser solicitados para investigar o tromboembolismo pulmonar.

Tem tratamento?

O principal objetivo do tratamento da trombose venosa profunda é evitar que algum coágulo se desprenda e vá parar nos pulmões. Além disso o tratamento visa evitar complicações nas pernas e impedir que novos coágulos venham a se formar.

Para fazer isso são utilizadas medicações anticoagulantes.

Até alguns anos a única opção era o medicamento varfarina. Que é um ótimo medicamento, porém requer um acompanhamento muito próximo do médico e do paciente. É necessário fazer um exame chamado de TAP ou RNI, que avalia a coagulação do sangue, e isso a cada 2 ou 3 dias. Devido a isso, muitas vezes a varfarina é iniciada em ambiente hospitalar, com o paciente internado, fazendo os ajustes de dose até que se tenha a medida da coagulação bem controlada.

Depois de ajustada a dose o paciente pode ir para casa, mas precisa fazer um acompanhamento regular com avaliação mensal ou com outra periodicidade conforme o caso.

O risco de doses muito elevadas de varfarina é deixar o sangue muito líquido, a ponto que ele estravasse dos vasos sanguíneos, podendo levar a sangramentos ou hemorragias.

Para facilitar isso foram criados os novos anticoagulantes orais (NOACs) sendo os mais conhecidos e usados a apixabana e a rivaroxabana. Estes são medicamentos seguros e que não precisam de monitoramento constante do estado de coagulação do sangue. Sua principal desvantagem é que eles são extremamente caros.

Dependendo do caso, o médico pode indicar o tratamento com anticoagulantes por pelo menos 3 meses. Em casos de risco maior para trombose ou novo episódio de formação de coágulos nas veias, o médico pode optar por tratar com anticoagulantes por tempo indeterminado.

Outros tratamentos

Além dos anticoagulantes é extremamente recomendável fazer caminhadas diárias, mesmo que a curtas distâncias. Os estudos mostram que isso favorece a melhora da circulação sanguínea e reduz os sintomas e os riscos de formação de novos trombos.

*Uma observação: O Ácido Acetilsalicilico também conhecido como AAS ou Aspirina é conhecido popularmente por “afinar o sangue”. Na verdade, ele também tem propriedades anticoagulantes, porém são bem mais fracas e seu uso não é indicado para tratar trombose.

Como evitar a trombose?

Sabendo as causas da trombose, fica um pouco mais fácil pensar em como evitá-la. As principais recomendações são:

  • Se mantenha ativo, fazendo exercício físico regularmente e tendo uma alimentação saudável.
  • Evitar ficar muito tempo sentado. Se fizer uma longa viagem, procure se movimentar, caminhando ou mudando de posição a cada 1 ou 2 horas.
  • Em caso de internamentos hospitalares, procure sair da cama e fazer pequenas caminhadas sempre que possível.
  • Evite o cigarro. Ele é um fator que por si só predispõe à trombose.
  • Pessoas que usam anticoagulantes, especialmente a varfarina, devem manter um consumo regular de alimentos ricos em vitamina K. Essa vitamina está presente principalmente em vegetais folhosos em geral como brócolis, alface e couve.
  • Evite a automedicação. Converse com seu médico sobre os possíveis efeitos colaterais das medicações que está tomando.

Conclusão

A trombose é uma doença em que ocorre o entupimento de uma veia por um coágulo de sangue. Ela afeta principalmente as pernas e, além do inchaço e dor local, o maior risco é o do trombo se soltar e ir para no pulmão, causando o tromboembolismo pulmonar, uma condição que pode ser fatal. O maior risco para a formação dos coágulos é ficar muitas horas parado na mesma posição, mas alguns medicamentos como anticoncepcionais podem também desencadear a trombose. O tratamento é feito com anticoagulantes e precisam de um acompanhamento médico frequente, especialmente no início do tratamento. Para evitar a trombose bons hábitos de vida e se movimentar durante viagens ou períodos de internamento hospitalares são essenciais.

Espero que tenha gostado do artigo.

Em caso de dúvidas comente aqui ou nas redes sociais.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como médico de família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário