Insuficiência Cardíaca: quando o coração sofre

Dr. Angelo Bannack

Atualizado há 8 meses

A Insuficiência Cardíaca é uma condição que ocorre quando o coração tem dificuldade de bombear o sangue pelo corpo. Isso pode levar a sintomas como cansaço e falta de ar que pioram com atividade física. Em casos mais graves o coração pode ficar tão fraco que ele precisa ser substituído.

Neste artigo você vai descobrir tudo sobre a Insuficiência cardíaca, incluindo o que causa, quais os sintomas e como se faz o tratamento. No final você vai encontrar as principais recomendações para evitar a doença e manter seu coração saudável.

Boa leitura.

*Prefere assistir? O conteúdo deste artigo também está disponível no vídeo abaixo. 

Vídeo: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA: Seu CORAÇÃO está SAUDÁVEL?

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA: Seu CORAÇÃO está SAUDÁVEL?

O que é a Insuficiência Cardíaca?

O coração é um músculo poderoso que garante a circulação do sangue pelo corpo. Ele é dividido em duas metades: direita e esquerda. O lado direito recebe o sangue que vem do corpo e tem a função de bombear este sangue para os pulmões. Nos pulmões o sangue é oxigenado e volta para o lado esquerdo do coração. Já o lado esquerdo leva esse sangue rico em oxigênio para todo o corpo.

A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração tem dificuldade de bombear o sangue. Isso leva a duas principais consequências:

  1. Menos sangue irrigando os órgãos do corpo;
  2. Aumento da quantidade de sangue do lado direito do coração, fazendo uma congestão.

Um dos órgãos que mais sofre com a falta de irrigação são os rins, que podem apresentar falhas pela baixa quantidade de sangue que passa por eles. Por outro lado, os pulmões podem ficar congestionados, com excesso de líquido e com dificuldades de realizar a oxigenação do sangue.

E devido a essas duas grandes consequências aparecem os sintomas de cansaço, falta de ar, fraqueza, tontura, taquicardia (batedeira ou coração acelerado), inchaço das pernas e do abdome.

Nem todos os sintomas estão presentes e no início da doença eles costumam aparecer apenas quando mais oxigênio é necessário pelo corpo. Isto acontece quando você está realizando alguma atividade física, como subindo uma escada, caminhando ou correndo. Mas em casos mais avançados da doença é possível que os sintomas estejam presentes até em atividades mais simples como tomar banho ou trocar de roupas.

Por que a Insuficiência Cardíaca acontece?

A Insuficiência Cardíaca é causada por outras doenças ou condições que danificam o coração. As principais causas são:

  • Hipertensão arterial: Em pessoas que têm pressão alta e que não fazem tratamento, nem acompanhamento adequados, o coração trabalha fazendo mais esforço do que devia. Com o passar dos anos essa sobrecarga pode acabar danificando os músculos cardíacos, levando à insuficiência.
  • Entupimento das artérias do coração: O excesso de colesterol ruim circulando no corpo pode levar ao entupimento das artérias do coração (coronárias). Além do infarto (que é devido ao entupimento total das coronárias, um entupimento parcial de alguma artéria pode levar à falta de oxigênio nos músculos do coração, causando a insuficiência cardíaca.
  • Problemas nas válvulas cardíacas: As válvulas do coração trabalham de forma a garantir que o sangue circule em um único sentido. Várias condições podem afetar as válvulas, desde infecções até alterações na sua estrutura devido ao excesso de colesterol por exemplo. As válvulas podem se tornar estreitadas, o que aumenta a pressão dentro do coração, ou ficarem com dificuldade de fechar, o que leva ao retorno do sangue no sentido contrário ao que deveria. As duas situações contribuem para a insuficiência cardíaca.
  • Doenças do músculo cardíaco: O músculo do coração pode ser afetado por várias doenças, desde doenças genéticas, autoimunes ou infecções. Uma doença prevalente no Brasil e que aumenta o tamanho do coração afetando diretamente o músculo cardíaco é a doença de Chagas, transmitida pelo inseto barbeiro.

Tipos de Insuficiência Cardíaca

Existem basicamente dois tipos de insuficiência cardíaca. O tipo é classificado de acordo com a parte do sangue que é ejetada do coração, chamada de fração de ejeção.

Um coração saudável consegue ejetar mais da metade do sangue que chega até sua metade esquerda.

  • Na insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida, o coração está tão fraco que não consegue bombear essa a quantidade adequada de sangue para o corpo.
  • Já na insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada, o coração se torna endurecido e, apesar de conseguir bombear mais da metade do sangue que chega em sua metade esquerda, ele não relaxa e não é capaz de se encher da quantidade de sangue da forma como deveria.

Como o médico sabe que eu tenho Insuficiência Cardíaca?

O médico irá suspeitar da insuficiência cardíaca baseada nos sintomas e no exame físico. A presença de falta de ar e cansaço durante atividades de maior esforço, com piora progressiva depois de meses ou anos do início, associada a inchaço das pernas, entre outros sintomas, são indicativos de que é possível que você tenha insuficiência cardíaca.

Para confirmar o médico pode solicitar alguns exames, sendo os mais comuns:

  • Ecocardiograma com doppler: Esse é um dos principais exames pois permite avaliar a fração de ejeção do coração. Mas lembre-se de que mesmo com a ejeção preservada a insuficiência cardíaca ainda pode estar presente.
  • Eletrocardiograma (ECG): O ECG vai permitir mostrar sinais de infartos antigos ou ainda de arritmias e aumento do tamanho das câmaras do coração, mostrando que o coração está doente.
  • Radiografia do tórax: A radiografia permite avaliar o tamanho do coração além de documentar sinais de acúmulo de líquido nos pulmões.
  • Peptídeo Natriurético Cerebral (BNP). Esse hormônio foi identificado inicialmente no cérebro, e daí seu nome. Mas ele é produzido em maior quantidade pelo coração. Quando em excesso, indica que o coração está sofrendo para bombear o sangue.
  • Sódio, potássio: Esses eletrólitos são normalmente avaliados para permitir iniciar alguns medicamentos com segurança.
  • Outros. Dependendo da avaliação, o médico pode solicitar outros exames para tentar identificar a causa, quantificar a insuficiência cardíaca ou ainda descartar outras hipóteses. Entre os exames que podem ser solicitados estão o teste ergométrico (teste da esteira), cateterismo cardíaco, tomografia de tórax e a ressonância magnética.

Uma vez confirmada a insuficiência cardíaca, outros exames para avaliar a função dos rins e do fígado, além de outros fatores que possam piorar a doença como diabetes e excesso de colesterol podem e devem ser avaliados de forma rotineira.

Se eu tiver Insuficiência Cardíaca, como me cuidar?

A Insuficiência Cardíaca é uma doença crônica e irreversível. Isto quer dizer que quem tem a condição precisa de cuidados pelo resto da vida.

O tratamento envolve principalmente mudanças no estilo de vida, mas também medicações. Os principais cuidados necessários são:

  • Se pesar frequentemente: um aumento de peso repentino é sinal de que há líquido se acumulando no corpo. O acúmulo pode ser principalmente nos pulmões, nas pernas ou no abdome. Se houver um aumento repentino (de mais de 1 kg de um dia para outro), é importante entrar em contato com seu médico.
  • Limitar o consumo de sal: o sal no corpo atrai água e acaba piorando o inchaço. Converse com seu médico para saber se você precisa de uma dieta específica para o seu caso.
  • Exercício físico: fazer exercício, especialmente aeróbico, é importante pois ajuda a melhor a função do coração. Os aeróbicos são aqueles exercícios que aumentam a velocidade do coração: caminhadas, ciclismo, dança, natação, esportes coletivos. Exercícios de musculação podem e devem ser feitos, mas para manter a saúde do corpo como um todo. A musculação não parece melhorar a função do coração. E antes de começar qualquer exercício converse antes com seu médico. 
  • Exercícios de inspiração: em alguns casos inspirar profundamente várias vezes por dia pode melhorar a capacidade pulmonar. Se indicado por seu médico, procure um fisioterapeuta respiratório para lhe auxiliar.
  • Tabagismo e etilismo: evite fumar e beber. O cigarro predispõe à doenças no coração, principalmente o infarto. O álcool enquanto sendo metabolizado pelo corpo pode sobrecarregar seu organismo e piorar sua condição de saúde em geral.
  • Mantenha um peso adequado: o excesso de peso acaba sobrecarregando o coração e a perda de peso pode melhorar em muito no controle dos sintomas.

Medicamentos

Quem tem insuficiência cardíaca costuma tomar uma série de medicamentos. Alguns são para controlar fatores de risco e doenças já existentes, especialmente diabetes e pressão alta. Medicações para controlar o colesterol também são normalmente indicadas. Entre os medicamentos para tratar especificamente a insuficiência cardíaca estão:

  • Diuréticos: são medicações que ajudam a eliminar o excesso de líquido acumulado no corpo fazendo-o urinar mais.  Exemplo: furosemida e espironolactona.
  • Inibidores da enzima conversora de angiotensina ou bloqueadores dos receptores de angiotensina: estas medicações ajudam a melhorar a funcionalidade do coração e de quebra reduzem a pressão arterial. Exemplos: enalapril, captopril, losartana e sacubitril-valsartana (entresto).
  • Beta bloqueadores: reduzem a velocidade das batidas do coração e ajudam a controlar arritmias. Exemplos: carvedilol e metoprolol.
  • Inibidor de SGLT2: essa medicação é comumente usada para tratar diabetes, mas ajuda também a melhorar a função do coração e por isso é usada na insuficiência cardíaca mesmo para quem não tem diabetes. Exemplos: dapagliflozina e empagliflozina.

Outros medicamentos podem ser indicados conforme o caso. Além disso o tratamento cirúrgico para corrigir problemas no coração pode ser indicado no caso de doenças cardíacas. Entre elas: colocação de stents, ponte de safena, troca de válvulas ou ainda marca-passos que regulam os batimentos do coração.

Se nada disso resolver, existe a possibilidade de o médico indicar um transplante cardiaco, numa cirurgia de substituição do coração doente por um saudável oriundo de um doador. O doador é normalmente uma pessoa saudável, mas que teve morte cerebral devido a um acidente ou algum trauma.

Tem como evitar a doença?

A melhor forma de evitar desenvolver insuficiência cardíaca é protegendo seu coração. Para isso hábitos saudáveis de vida são essenciais. Eu costumo bater muito nesse tema em meus artigos, mas já diz o ditado que prevenir é melhor do que remediar. As recomendações são:

  • Mantenha o peso adequado: o sobrepeso é fator de risco para muitas doenças entre elas o diabetes e a pressão alta e ambas podem prejudicar o coração.
  • Tenha uma dieta equilibrada evitando gorduras saturadas e carboidratos simples. As gorduras saturadas estão presentes nas frituras, nos produtos industrializados e nos embutidos (queijo, presunto, entre outros). Já os carboidratos simples são encontrados principalmente em produtos feitos à base de trigo, arroz e açúcar. Manere nos doces, bolos, pães, biscoitos, macarrão.
  • Faça exercício físico regularmente. O exercício favorece o bom funcionamento do coração, reduz o peso, a pressão arterial e mantém a saúde em geral.
  • Realize seus check-ups periodicamente. A partir dos 40 anos é importante procurar um médico regularmente para avaliar a pressão arterial, a presença de diabetes, excesso de colesterol, entre outros fatores que favorecem as doenças cardiovasculares. E se alguma dessas condições estiverem presentes, é importante mantê-las sob controle
  • Evite ou cesse o tabagismo. Além de prejudicar os pulmões, o cigarro favorece o entupimento das artérias do coração o que predispõe ao infarto.

Conclusão

A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração adoece e fica com dificuldade de bombear o sangue pelo corpo. Isso leva a sintomas como cansaço, falta de ar, fraqueza, tontura, taquicardia, além de inchaço das pernas e do abdome. A principal causa são outras doenças que prejudicam o coração, como pressão alta, infecções cardíacas, doenças nas válvulas ou coronárias e infartos prévios. Vários exames podem ser utilizados para diagnosticar a doença, sendo o ecocardiograma um dos principais. Manter o peso sob controle, praticar exercícios físicos, evitar o tabagismo, controlar a pressão arterial e ter uma alimentação saudável são essenciais para manter a doença sob controle, mas também ajudam a evitar a insuficiência cardíaca.

Se ficou com dúvidas, comente aqui ou nas redes sociais.

Dr. Angelo Bannack - Médico de Família

Dr. Angelo Bannack

Sou um médico que gosta de escrever, curte tecnologia e que valoriza a ciência como o caminho para a nossa evolução. Como médico de família, atendo em meu consultório particular em Curitiba e em consultas domiciliares, ajudando as pessoas a manterem-se saudáveis, com check-ups regulares, orientações e contribuindo no processo de diagnóstico e tratamento da grande maioria dos problemas de saúde.

Escreva um comentário